Não sei como estás.

Não sei se cortaste o cabelo. Ou se o deixaste crescer.

Não sei se continuas a fazer questão de desobedecer às passadeiras, só porque ninguém manda em ti.

Não sei se ainda estás confusa, e se sempre vives na lua. Se só cá metes os pés na terra às vezes, meio endiabrada, e se com estas voltas todas continuas sempre meio stressada. Não sei, mas de ti já qu ...

Ler artigo completo