A Guiné parece estar a contrariar os avanços já feitos em alguns países do mundo, em que a mutilação genital foi abolida.

Em Conacri, capital da Guiné, o apoio à MGF tem aumentado, inclusive por parte das mulheres. Apesar de ser ilegal desde 2011, a MGF continua uma prática aparentemente inviolável para as comunidades e a pressão internacional parece não chegar.

A única explicaçã ...

Ler artigo completo