Foi um balanço que passou despercebido nos órgãos de comunicação social - não apenas em Portugal -, sem merecer atenções detalhadas nem devido escrutínio público. No mês passado, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) deu o alerta vermelho. Desde o começo das hostilidades, em Março de 2011 (os primórdios da "Primavera Árabe"), 3,7 milhões de crianças nasceram na Síria. Par ...

Ler artigo completo