Tem sido coisa de partidos socialistas em anos recentes. Na Grécia, o PASOK entrou em declínio durante a ascensão do SYRIZA. Em Espanha, Pedro Sánchez abandonou o cargo de secretário-geral do PSOE no início de Outubro último, após dois dos piores registos de sempre nas legislativas e em contraste com a subida do Podemos junto dos eleitores. Já em França, a conversa agora não se centra tanto no ...

Ler artigo completo