Não vou falar de gerações nem de lamentações. Não vou abordar os defeitos das épocas ou as épocas de defeitos. Talvez mencione a sociedade (mais do mesmo, clichés). Mas se é para falar, falarei do pensado, do imaginado, daquilo que me envolve neste mundo ricamente pobre em pensamentos com princípio, meio e fim. Quero criticar a rir. Quero fazer pensar levemente sobre o complexo. Quero imaginar ...

Ler artigo completo