Francisco Reis


Faculdade de Direito, UL

"Para ser grande, sê inteiro: nada Teu exagera ou exclui. Sê todo em cada coisa. Põe quanto és No mínimo que fazes."
- Ricardo Reis

Ver com olhos velhos

"E em todo o começo mora um encanto

Que nos protege e nos ajuda a viver.

Para a frente então, coração, despede-te e cura-te!"

Li esta frase num livro há uns anos atrás e ficou-me imediatamente inscrita na memória, de tal forma que desde aí a levo sempre comigo pela vida, não necessariamente na ponta da língua, mas pelo menos na ponta da alma. É uma frase muito forte, tão forte que apenas gradual e progressivamente tenho vindo a desvendar todo o seu significado, num processo que me parece se prolongará durante toda a minha vida.

Recentemente, penso ter encontrado mais uma parcela do seu sentido, relacionada com o carácter adictivo da mudança.

A mudança é uma constante. A mudança é inevitável. Combatê-la acaba sempre em derrota. Se tentarmos estar no controlo do que se passa na nossa vida, seremos sempre gozados pela mudança. Constante e repetidamente esta força indomável puxará o tapete debaixo dos nossos pés e acabaremos de pernas para o ar sem modo de ripostar.

Já quando a mudança parte da nossa iniciativa, quando voluntariamente decidimos quebrar o status quo, então aí de repente viciamo-nos nela. Quando começamos a mudar coisas na nossa vida, apetece-nos mudar outras. E aí dá-se uma mudança de paradigma muito interessante, de repente a mudança que nos é imposta, a que escapa ao nosso domínio, já não é necessariamente um furto, mas uma doação, porque fomos nós mesmo que quisémos abdicar da efémera e ilusória estabilidade.

Muitas vezes desejamos poder viver uma segunda vida, mas começando logo com as ideias que aprendemos na primeira. Ora, a mudança dá-nos precisamente essa possibilidade, recomeçar de novo, sem reset da consciência. Nascemos de novo, mas não nascemos bebés. Costuma se dizer que é bom ver a mesma realidade por olhos novos, mas igualmente bom, ou talvez ainda melhor, é ver coisas novas com olhos velhos, experienciados. A mudança dá-nos isso. Um novo início, que não é, no entanto, um retorno à estaca zero. Parece-me, então, ser isto uma parte do encanto que mora em cada começo.


2 comentários

  1. Li,adorei e tomei a liberdade de partilhar com alguém muito especial,não só pela beleza, realidade e verdade que o texto contém, mas também porque neste momento estas palavras servirão para o renascer desse alguém que vive uma fase de mudança onde terá

  2. O comeco de uma nova vida e sem duvida uma incognita mas ha sempre que tentar ser feliz para viver em paz com a propria vida pois incerteza nao leva a lado nenhum ficamos parados no tempo e idade vai passandoe as oportunidades tambem esta e minha opinia

Deixar um comentário