Manuel Duarte Neves Gonçalves


Faculdade de Direito, UL

"Um pessimista vê uma dificuldade em cada oportunidade. Um optimista vê uma oportunidade em cada dificuldade."
- Winston Churchill

Que riscos para Marcelo?

Marcelo teve um primeiro mês cheio. Cheio de gente e cheio de si. Esteve em tudo e com todos. Tem sido aquilo que prometeu ser: Ele mesmo. Afetuoso, presente, próximo é dinâmico, muito dinâmico.

O novo Presidente tem dado à figura de Presidente um novo estatuto e os Portugueses têm-se rendido, na sua generalidade, a esta forma de estar de Marcelo, agora enquanto Presidente da República.

Só erra quem trabalha e só falha quem tenta. O ritmo a que Marcelo pensa e actua aumenta a probabilidade de o Presidente falhar. Esta maneira de estar de Marcelo é, por isto mesmo, um risco. Ainda assim, é um risco que considero necessário para que Portugal possa ter um Presidente capaz de fazer frente aos variados obstáculos com que o nosso País se depara hoje e se vai deparar amanhã.

A verdade é que, mesmo assim, foi, para Marcelo, um primeiro mês perfeito. O difícil, julgo eu, vai começar agora. Será Marcelo Rebelo de Sousa capaz de manter este ritmo frenético com a mesma abertura, disponibilidade, vigor e jovialidade ao longo dos próximos 59 meses de mandato? É uma pergunta que considero crucial. A resposta só nos chegará daqui a cinco anos mas admito que, caso seja negativa, as consequências não possam ser positivas.

Não sei se Marcelo deve abrandar, sob pena de não aguentar o seu próprio ritmo. Não sei se Marcelo deve aparecer menos sob pena de perder a sua importância (fazendo com que tudo aquilo que diz passe a ser banalizado). O que sei é que a Presidência de Marcelo Rebelo de Sousa, tendo em conta o que Marcelo já deu de si aos Portugueses, vai ser sempre um risco.

Portugal e os Portugueses precisam, mais do que nunca, do Presidente que Marcelo tem sido até agora. Um Presidente que está. Um Presidente que ouve. Um Presidente que sente. Marcelo sabe-o e sabe também que Portugal não iria reagir bem ao ver em sim um Presidente diferente daquele que tem sido até agora. Vou mais longe e assumo que Portugal não iria reagir bem a um Marcelo encavacado.


1 comentários

  1. É sempre importante traçar todos os cenários. Gostei

Deixar um comentário