Afonso Delgado Gonçalves


Faculdade de Medicina, UL

"Words can be like x-rays if you use them properly — they’ll go through anything. You read and you’re pierced."
- Aldous Huxley

Have a nice life

A vida quotidiana está repleta de pérolas de sabedoria que nos vão sendo deixadas sem muitas vezes no momento entendermos o significado . A necessidade da mudança de perspectiva que a idade nos traz permite-nos olhar para o passado com outros olhos.

O RJ era um rapaz com quem tinha a aula de Health Science quando vivia no Texas. Um tipo porreiro que mandava umas piadas engraçadas a gozar com o conteúdo da aula, era o habitual “palhaço” da turma. Segundo ele, mudava-se muito, portanto tornara-se alguém extrovertido por imposição, para não viver numa solidão permanente. Nos trabalhos de grupo, uma constante, costumávamos ficar juntos, e conversávamos sobre coisas normais de miúdos de liceu tipicamente aborrecidos pela tarefa que nos tinha sido dada, sendo que ele era dois anos mais novo que eu. A nossa relação nunca passou disto, divertíamo-nos e ríamo-nos um bocado na aula, que era às terças de manhã, depois cada um ia à sua vida. Não sei se o consideraria um amigo na altura, mas era, sem dúvida, um conhecido muito amigável. Na última aula que tivemos juntos, uma semana antes de eu regressar para Portugal, quando saíamos disse-me algo inesquecível e um pouco confuso para um rapazito de dezassete anos : “ Have a nice life “. Era assumido, que, muito provavelmente, nunca mais nos veríamos ou conversaríamos. Revivendo a memória, percebo também que havia muita genuinidade naquelas palavras, naquele instante, porém, achei aquela última frase demasiado fatalista. No entanto, estava-me a dar uma lição, sem ele próprio se aperceber. Se calhar, até sabia, porque sendo um rapaz que já vivera em vários sítios, teve a experiência de poder assimilar uma das maiores inevitabilidades da vida.

A vida separa as pessoas. Não o faz por mal, aliás, até torna tudo mais interessante. Um mal que vem por bem. Não saber a próxima que vamos ver alguém novamente permite-nos viver mais presos ao presente, desfrutando mais da companhia de quem nos rodeia e das oportunidades que a vida nos oferece. Não quer dizer que não tenha que haver preocupação com o dia de amanhã e que não se tenha amigos que nos acompanhem a vida toda. Apenas quer dizer que, apesar de termos que fazer por manter as pessoas próximas, tudo o que surge cessa e, como tal, não faz sentido estarmos apegados às pessoas. A verdadeira amizade consiste, não no apego, mas na realização de que, se a vida obrigar a uma separação através de variadas circunstâncias, vamos sempre desejar o bem para essa pessoa e lhe estaremos gratas pelos momentos que tivemos o prazer de partilhar em conjunto. Por isso mesmo, pela autenticidade nas últimas palavras que ouvi da boca do RJ, talvez o possa considerar um amigo.

Marcado em:

0 comentários

Deixar um comentário